sábado, 30 de janeiro de 2016

Por que criei esse blog?

Comecei minha vida de pediatra trabalhando em pronto socorro, depois em centros de saúde e hospitais. Convenci-me rapidamente que a prevenção é o melhor caminho para a saúde das crianças.

Trabalhei intensamente por ações preventivas, como o aleitamento materno, prevenção da desidratação com soros reidratantes (como o soro caseiro) e as vacinações. Acumulei grande experiência com vacinações, trabalhando em centros de saúde e assessorando várias instituições e entidades sobre vacinações.

A internet e as redes sociais criaram muitos benefícios, como maior interatividade entre as pessoas e maiores possibilidades de trocas de informação em escala universal. A liberdade ilimitada da internet permite que a circulação de opiniões ocorra livre de censura, o que é em si um bem. Mas, infelizmente, há alguns aspectos negativos, como a circulação de notícias falsas e opiniões fantasiosas. Quando se trata de vacinas, assunto seríssimo, essas notícias falsas e fantasiosas podem gerar dúvidas, ansiedade e até mesmo afetar o programa de imunizações.

Não há ação médica com melhores benefícios do que as vacinações. Graças a elas, estamos livres da varíola, estamos prestes a erradicar a poliomielite do mundo, a rubéola foi eliminada das Américas, e doenças como difteria, tétano, sarampo, meningites por hemófilus,  entre muitas outras, tornaram-se raras.

Com a diminuição dessas doenças, muitos pais perderam o medo delas, e tendem a relaxar  sobre as vacinações. Isso é um erro grave, pois sem as vacinas as doenças voltarão.

Todas as vacinas são acompanhadas de reações ou eventos adversos, em geral de curta duração e benignos, como a febre, mas a comparação  com as doenças mostram que o benefício é imenso. Por outro lado, quando se vacinam milhões de pessoas, é claro que surgem doenças após as vacinações, mas uma análise cuidadosa mostra que não são causadas pelas vacinas. Essa análise é feita em estudos clínicos, estudos de farmacovigilância, e discussão por grupos de especialistas.

Minha intenção, nesse blog, é tornar acessíveis ao leitor comum as informações mais atuais sobre vacinas, com foco no Brasil, e principalmente tirar suas dúvidas. Escrevam seus comentários e perguntas.

Dr. Reinaldo de Menezes Martins, médico pediatra



21 comentários:

  1. É muito bom ter uma fonte segura sobre esse assunto tão importante. Parabéns pela iniciativa!

    ResponderExcluir
  2. Gostaria de saber: a vacina/ HPV é segura?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Claudia, obrigado por sua pergunta. A vacina HPV é segura. Mais de 200 milhões de doses já foram aplicadas em 66 países que a adotaram na rotina, para evitar o câncer de colo de útero, como complemento ao exame periódico com o ginecologista. Como regra, é aplicada em adolescentes, e um evento adverso que assustou foram desmaios, às vezes em várias pessoas do mesmo grupo, e tudo indica que são reações de ansiedade. O único evento adverso preocupante é reação alérgica, que ocorre raramente (aproximadamente 3/100.000 doses). O tratamento é adrenalina, disponível em todas as salas de vacinação. Os outros eventos adversos são leves e passageiros. Espero ter ajudado.

      Excluir
    2. Está na época das meninas irem ao posto de vacinação. Obrigada!

      Excluir
  3. Dr, estou gravida de 30semanas.. Tomei a vacina no Posto de saude da minha cidade (interior de SP), a vacina foi de coqueluxe/tetano/dft com 27 semanas de gravidez..li sobre assunto de uma possibilidade de interacao dessa vacina com a microcefalia... agora li sobre seu artigo!! Oq vc tem a me dizer? Tem ou nao tem associacao?? Precisaremos de mais pesquisas para esclarecer tal duvida? Aguardo a sua resposta

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara amiga, muitos estudos foram feitos sobre as vacinas coqueluche/tétano/difteria em gestantes, principalmente na Inglaterra e Estados Unidos, mostrando que a vacina é segura e eficaz para evitar o tétano e a coqueluche no recém-nascido. O Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos tem bibliografia científica de qualidade sobre o assunto (http://www.cdc.gov/flu/protect/vaccine/pregnant.htm).
      O site da Sociedade Brasileira de Pediatria (www.sbp.com.br) e o blog da Academia Brasileira de Pediatria (https://blogdaacademiabrasileiradepediatria.wordpress.com)
      publicaram notas esclarecendo o assunto. Espero ter ajudado.

      Excluir
  4. Parabéns pela iniciativa Dr.Reinaldo!
    gostaria de sugerir uma matéria para seu blog:autismo e vacinas . A idéia de retardar o início da imunização para depois dos 1000 dias de vida como forma de se evitar o desencadear de autismo em irmãos de crianças autistas e tb como forma de se prevenir o agravamento de autismo ja existente (devido a presença de hidroxido de aluminio e tiomerosal em sua composição). Esta idéia vem sendo difundida entre grupo de famílias de autistas como parte do tratamento biomédico do autismo. Obrigada. Heloisa toaiari

    ResponderExcluir
  5. Obrigado, Heloisa, ótima sugestão. Você tem algum texto ou documento sobre essa recomendação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Soube desta recomendacao atraves de um colega anestesista que possui um filho aspenger e teve uma bebe agora de 3 meses que so recebeu BCG. Esta orientacao faz parte do protocolo DAN para tratamento de autismo. Ele me mostrou um e mail com esta orientacao feito por um medico Dan. Existem uns videos na internet sobreum congresso biomedico de autismo onde se encontram estas e outras recomendacoes. Heloisa

      Excluir
    2. Cara Heloisa, você sabe que a questão de vínculo entre MMR e autismo foi encerrada há muito tempo, após muitos estudos e com a retratação da revista que publicou o artigo que provocou essa falsa alegação (o Lancet). Sobre alumínio e thimerosal nas vacinas, há um documento da OMS, sintetizando muitos estudos, onde se assegura a segurança de seu uso em vacinas (WER 87:277-288). Vou conversar com colegas para pensarmos em um documento sobre o assunto. Obrigado - Reinaldo

      Excluir
    3. A sbim tem um link familia.sbim.org.br onde ha uma guia "mitos" que traz tambem subsidios sobre este assunto. Muito interessante! Heloisa

      Excluir
    4. No site da sbim especificamente familia.sbim.org.br ha um icone "mitos" com algumas referencias sobre o assunto. Heloisa

      Excluir
  6. Dr Reinaldo, grata por sua iniciativa. Sou médica infectologista e travo muitos embates em redes sociais com movimento anti vacinas. Recomendei seu blog em minha página do facebook pois muitas mães me procuram com dúvidas.
    Sou mãe da Lorena, 3 anos, que tem síndrome de down. Faço todas as vacinas nela, mas muitos me criticam pois alegam que as pessoas com SD apresentam imunodeficiência. Não há nenhum artigo publicado contra-indicando quaisquer vacinas nessa parcela da população. Até li que as pessoas com SD tem ação deficiente de células B, o que pressupõe uma imunogenicidade menor, até com cogitação de booster em certos casos.
    Gostaria que pudesse sanar essa dúvida
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  7. Cara Ivelise, concordo. Pode haver discreta imunodeficiência em pessoas com S. Down,mas isso é mais uma razão para vaciná-las com todas as vacinas. O Manual dos CRIEs, do Ministério da Saúde, 4ª ed,que v. pode obter na internet, inclui pessoas com S. Down como grupo preferencial para receber vacinas. Obrigado pela pergunta.
    Reinaldo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo esclarecimento Dr Reinaldo

      Excluir
  8. Doutor,
    a questão levantada não foi sobre a dTpa, mas sim sobre a DTP.
    Não há risco de tomar essa (DTP)?
    Obrigado,
    Otávio Galdino

    ResponderExcluir
  9. Caro Galdino, a S. de Down não contraindica a DTP, a não ser que a criança tenha complicações, como convulsões ou cardiopatia com risco de descompensação. Abraços
    Reinaldo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpa, não estava me referindo à Síndrome de Down. Estava querendo dizer sobre a possibilidade levantada pelo profissional de saúde Plínio Bezerra dos Santos Filho de a DTP causar microcefalia. Não a dTpa, mas a DTP.

      Excluir
  10. Tudo bem, Otávio, nenhuma vacina causa microcefalia, nem a DTP.
    Vacina com prazo de validade vencida pode não imunizar, mas não vai causar eventos adversos.Abraços
    Reinaldo

    ResponderExcluir
  11. Por favor Dr Reinaldo,é sobre a vacina de febre amarela ,estou tao preocupada com esse surto de febre amarela que nao sei o que fazer. Meu filho de quase 12 anos tem cardiopatia congênita,o Iga abaixo na taxa normal para a idade(ele tem desde bebê) e além disso faz uso de Seretide ,avamys e montelair para asma grave há 7 anos inenterruptos. Agora há um ano está tb fazendo uso de pomada com corticoide oftamologica. E para completar há suspeita de purpura(ainda nao fui ao dermatologista ,foi o pediatra que encaminhou) Claro que já perguntei isso aos médicos ,pneumo,alergista e pediatra.,e cada um diz uma coisa. Moro em Macaé recentemente . O Dr se incomodaria de me dar sua opiniao ,mesmo nao conhecendo meu filho,se devou ou nao dar a vacina . Mais uma vez me desculpe .

    ResponderExcluir